Apresentação
Este novo curso de mestrado assume-se como uma formação que pretende aprofundar conhecimentos na área das Ciências da Educação e competências para integração no mundo do trabalho. O curso visa a formação de profissionais qualificados, com base no contacto com a diversidade de contextos educativos formais, não formais e informais e na construção e desenvolvimento de processos de investigação/ação/intervenção, sempre enquadrados num conjunto de procedimentos eticamente corretos.

Desta forma o curso destina-se a recém-licenciados em Ciências da Educação e da Formação, mas também a profissionais que trabalhem e tenham interesse na intervenção nos diversos domínios da educação, em contextos variados:

  • Intervenção socioeducativa
  • Educação não formal e informal
  • Educação e aprendizagem dos cidadãos mais velhos
  • Conceção, gestão e avaliação de programas e projetos
  • Educação para a cidadania
  • Educação de jovens e adultos
  • Dinâmicas e políticas sociais

Para possibilitar a frequência do curso a estudantes não-tradicionais e trabalhadores em instituições da sociedade civil, o mestrado funcionará em regime Pós-Laboral. No 2º ano do curso os estudantes poderão escolher, conforme a sua situação particular, realizar uma dissertação tradicional; realizar um estágio (mais apropriado para estudantes jovens que precisem de experiência profissional); ou a realização de um trabalho de projeto (mais adequado para quem já trabalhe na área e queira promover a melhoria da instituição, numa dinâmica de investigação-ação).

Legislação Aplicável

Propinas e taxas 2021/2022

Candidatos nacionais: 1100 Euros

Candidatos internacionais*: 2000 Euros

Taxa de candidatura: 50 Euros

Taxa de inscrição e seguro escolar: 175 Euros

Nota: A propina deste curso pode ser paga em 10 prestações, sendo a primeira no ato da matrícula e as restantes nos meses de outubro, novembro, dezembro, janeiro, fevereiro, março, abril, maio e junho.

* de acordo com o Decreto-lei n.º36/2014, alterado pelo Decreto-Lei nº 62/2018, de 6 de agosto, são considerados estudantes internacionais os nacionais de um estado que não seja membro da União Europeia e que residam legalmente em Portugal há mais de dois anos, de forma ininterrupta, em 1 de janeiro do ano em que pretendem ingressar no ensino superior.

As candidaturas aos cursos de Mestrado são efetuadas através do Portal de Candidaturas